poeminhas p/matar o tempo e distrair dor de dente.: OFICINA POESIA DE QUINTAL

sexta-feira, julho 04, 2008

OFICINA POESIA DE QUINTAL

http://www.belopoetico.com/
...
SOS
(... --- ...)

Em todo canto
nenhum espanto

na era
do mouse

esquecido está
o código morse.

Entre bits, bytes
crimes, sussuros e clicks

- gente comprimida na pressão -
armada

até
nas gengivas.

Singrando

de suas ogivas
orgasmos, urgências, choros, risos, raivas.

Motores roncam
pressas nas avenidas

sempre em frente sem freio
nem vírgula nem bafômetro - assaltam vidas

atropelam cachorros, bêbados
e desavisados sonhadores.

Quase nunca cedem a vez
aos senhores cardíacos e à velha parada

Pai e filha
Filho e mãe

da rua à sala
da favela ao palácio

quase ninguém fala
a mesma língua.

O mundo (in)sensível
continua surdo-mudo

ao esperanto.
...
Programação completa do Belô Poético 2008 - aqui
...
10.07.08 - na abertura do Belô Poético

3 Comments:

Blogger rio daqui said...

Amém! Vou levar feito oração e mandar bala quando a desconversa for tamanha. Abraço - Rio daqui - Paulo Viggu

sábado, julho 05, 2008 9:42:00 PM  
Anonymous Anônimo said...

Amigo,
Quantas línguas e quantas não-línguas no mundo da insensibilidade. Que ao menos a poesia seja código-flor universal de sensibilidade.
Um grande abraço,
Maria Cláudia

segunda-feira, julho 07, 2008 8:52:00 PM  
Blogger cristiana said...

nossaaaaaaaaa...quanta emoçãoooooooo....vibranteeeeeeee...good luck my dearrrr.vc sempre foi uma estrelaaa.estronda!!beijoooo


Criss

terça-feira, julho 15, 2008 10:31:00 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home