poeminhas p/matar o tempo e distrair dor de dente.

quarta-feira, março 24, 2010

Postagem ao som da música Nômade – Skank [OuçAquiÓ]
GÊNESE

Nem sapinho num brejão
Nem sapão num brejinho

De fato desde o parto

Prefiro é ser girino
Que sequer sabe o destino
...
Dedico esta postagem aos argentinos Sebastián Moreno e Laia Ferrari.
Além de carismáticos, eles são poetas, atores, dramaturgos e radialistas. Tenho deles uma visão romântica. Para mim, levam uma vida meio hippie, pois, estão sempre animados com o pé na estrada, mochilas nas costas e muitas ideias na cabeça. São nômades. Sempre juntos e prontos para a próxima viagem - outras terras, outros desafios, outros sonhos. Eles percorrem a América Latina divulgando a cultura hispânica com foco na poesia. Em 2009, ao lado do amigo e poeta mineiro Wilmar Silva, fizeram o programa Tropofonia, na rádio UFMG Educativa (104.5 FM). São autores do livro “Dos Gotas y um impermeable” e também estiveram em cartaz, aqui nas Gerais, com a peça "Ensaio sobre a Origem das Línguas". Enfim, agitam geral no mundo da arte.
No dia 10 de fevereiro de 2010, logo após o lançamento do projeto Pão e Poesia, no Palácio das Artes, quando eu saia do estacionamento de volta para minha casa, o Wilmar me parou e perguntou se eu não poderia deixar Sebastián e Laia na rodoviária de BH. Assim, tive como última e alegre missão do dia, dar ao casal uma carona. Sebastián, dispensou o motorista de taxi, que iria cobrar, além da corrida, mais R$ 2,00 por mochila. Deixamos Wilmar Silva, no passeio da avenida Afonso Pena, acenando para os amigos (de viagens poéticas) e dizendo “amo vocês”. Seguimos para a rodoviária num bate-papo agradável. Cantarolei para os amigos um trecho da música Nômade, do Skank, “A minha casa está onde está o meu coração / Ele muda, minha casa não / ... Meu endereço é o sítio estrelado de norte a sul / ... Onde estou, a minha casa está / ... Porque que eu sou apenas movimento / Sou do mundo, sou do vento / Nômade / Porque quando paro sou ninguém / Não declaro onde ou quem / Nômade” e arrematei "esta música tem tudo haver com vocês" – fiquei de enviá-la. Cumpro agora a promessa. Deixei-os com suas mochilas na rodoviária. Eles pagaram um ônibus com destino ao Mato Grosso. Em seguida, pegaram outro com destino final ao Uruguay, onde continuam entre outros movimentos apresentando o programa Tropofonia. Sempre juntos, Sebastián e Laia.
Abraço das montanhas,
Diovvani.

4 Comments:

Blogger Flora Dutra said...

ahuahuaha
muito bom
adorei

quinta-feira, março 25, 2010 9:15:00 PM  
Blogger Maria Claudia Mesquita said...

Gostei! Demais!
Que bom que passei por aqui!
Beijo,
Maria Cláudia

segunda-feira, março 29, 2010 10:25:00 PM  
Anonymous Anônimo said...

Diovvani,ola.

você sabe por onde anda um menino chamado renato, que fazia poesias e usava um tênis de cada cor? Um que te encontrou em um sarau uma vez, se lembra? você tem noticias dele?

sexta-feira, abril 02, 2010 7:01:00 PM  
Blogger Tropofonia said...

Diovvani,
muito obrigado pelas suas palavras (e pela carona!). Voce é um amigo e isso o levamos sempre junto com a gente.
até a proxima!
Kawsachum Pao e Poesia!
uma correçao.. depois de matto grosso a gente viajo para Bolivia.

terça-feira, maio 11, 2010 6:48:00 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home