poeminhas p/matar o tempo e distrair dor de dente.

quinta-feira, dezembro 22, 2005

gravura de caravaggio
postagem ao som da música: gente humilde de garoto, vinícius de moraes e chico buarque.

_encontro debaixo de um guarda chuva num dia de dezembro_
(coincidente? filosófico? poético? maluco? patético? sabe-se lá!)

"abrigados debaixo de um guarda chuva de camelô
conversaram animados um homem quase federal
o outro, podemos dizer, também um quase: só que marginal.
encontro raro, apesar de morarem no bairro: monte castelo.

o dialogo acontecido, logicamente interessou apenas aos dois.
o guarda chuva preto, parecia teto de um curral, guardando par de bois.
cada um dos tolos, se achava dono de um pedaço da verdade.
por isto, se acotovelavam no mesmo espaço, em busca de mais claridade.

o federal, usava lente de aumento sherlock, para destacar qualquer alheio erro.
o marginal parecia saído de woodstock, por isto dizem: "ganha tudo no berro"
o federal tem sempre no estoque, bélicas palavras para nocautear adversários
o marginal, mata o tempo com rock´s e belas baladas, de festinhas de aniversários.

federal: - você pode destruir um bom escritor ao fazer a ele um falso elogio!
marginal: - também não falseio, mas entre negativo e positivo: no último, é que injeto ágio.
federal: - temos que saber as regras, para depois subverter a escrita e a língua!
marginal: - discordo de regras, que aprisionam + de 51 idéias e as querem bêbadas à mingua.

está é para o anônimo, que comentou na postagem do "enquête" e para meu vizinho helder (coalhada brother), que passou na primeira etapa da federal para filosofia. o cara sabe tudo de regras de português e de tricotar: virgulas, pontos e outras "cositas" num texto. "cinceramente" agradeço a ele e ao anônimo, que estão unindo forças para ajudarem esse " ingnorante" aqui. por favor "anônimo", aponte-me outras perolas negativas, que seus positivos olhos enxergarem brilhando em meus "textículos". pode bater mais forte, garanto que em mim não dói. continue por obséquio, transmitindo sua sapiência a este primitivo homo-sapiens. já fiz a correção do "enquête" ok? e fica a dúvida: será que "aspas" me protegeram (o WORDdinário me salvou agora, já ia escrevendo protejeram) como anônimo protege quem não "gosta" de aparecer? Ou será que me protegerá como guarda chuva que sempre deixa uns pinguinhos safados nos atingirem. tomará que o guarda-chuva me guarde da chuva, outros badulaques, bujingagas e pare-minha-queda - amem, amém!"

5 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Muito Bom!
Que legal existirem o federal e o marginal. Que legal esta geléia geral, onde podemos expressar nossas idéias.

Sem a internet o que seria do marginal? Nunca conseguiria nos mostrar seus poemas e pensamentos. Estes ficariam aprisionados.

O federal; correto em sua linguagem; nunca falhará ao nos transmitir a língua mãe. Que bom qdo posso ler um Camões e entender o que está escrito. Pois sem a métrica, a norma, tudo viraria um caos.

Torço para o federal e para o marginal. Mas que nunca a escrita livre deste venha a sobrepujar à daquele. Quero daqui a séculos poder entender a ambos.

quinta-feira, dezembro 22, 2005 8:10:00 AM  
Anonymous Anônimo said...

se fosse possível agrupar as entrelinhas em páginas, este texto teria 1.859 páginas.
KRAFTWEGO!!!
Que cavacada, hein???

segunda-feira, dezembro 26, 2005 10:58:00 AM  
Anonymous Anônimo said...

mostrô a Bita!!!
G.A.

segunda-feira, dezembro 26, 2005 10:59:00 AM  
Blogger G.A. said...

as entrelinhas agrupadas em 1.859 páginas!!!
KRAFTWEGO...

G.A.

segunda-feira, dezembro 26, 2005 11:01:00 AM  
Anonymous Anônimo said...

Acreditem, meninos. Eu vi esse encontro.

sábado, janeiro 28, 2006 8:54:00 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home