poeminhas p/matar o tempo e distrair dor de dente.

sexta-feira, janeiro 13, 2006


Postagem ao som da música Admirável Gado Novo com Zé Ramalho.
"... E ver que toda essa engrenagem já sente a ferrugem te comer".
"...E sonham com melhores tempos idos, contemplam essa vida numa cela"
"...Os automóveis ouvem a notícia, os homens a publicam no jornal"
"...Ê, ô ô, vida de gado, povo marcado, ê, povo feliz"
Êta vida "marvada"! Os Donos da boiada são sempre os mesmos.
De tempos em tempos muda-se o capataz na sede do planalto central.
E a sede, o grito, presos na garganta? Ingrediêntes básicos da farofa!
Continuamos pastando e retornando bem conportados ao velho curral!

_Onde irão ruminar os bois da pATRIA tRAIDORES?_
(Quantos serão? um, dois, três, quatro, seis...)

Fantástico!Lula acuado atrás da mesa enforcando-se no elástico dos próprios tentáculos.
Para o internacional, competente, Roseano, (in)sensível, big pedra miau de óculos,
pareceu-me apenas mais um exposto nú, buraco da fechadura da tela luminosa.
Só mais unzinho, no triste circo de lona furada, platinado, do show da vida gloriosa!

A luz multicolorida sem piedade refletida no rosto do polvo-palhaço-espectaDor.
Extraiu em muitos, visíveis lágrimas. Esfacelado o sonho do ideal vermelho maior:
fazer valer mais o branco-educação, o verde-real, o azul-saúde, mas amarelou de fome.
Em mim? Sepultei o sonho da esperança sem dedo, vencendo o medo em nosso nome.

O torno-máquina triturador de gente do sistema; provou +1 vez que para ele não há segredo
infelizmente, não decepcionou decepando sem piedade logo, as mãos de minha esperança.
Neste estágio, como Vitor Jarra assisto alejado, crescer em mim vigorosa árvore de credos.
A torcida reza e não vejo em que buraco de BR, estacionar meu caminhão de mudança.

Onde posso me agarrar? Na saúde naja da tartaruga-serra, de conversas enfadonhas?
Na liberdade aeróbica sem asa, da neve tan-tan entre grades, no palácio sob as montanhas?
No garotinho que brinca na tv com o cristo redentor e promete curar todo tipo de peste?
Na alquimia P.Bull, robótica, malagueta de um santo do pau loco com origem no nordeste?

Por não ver saída digna: estou é babando, por uma dose de heroína helênica na jugular.
Mas só urro! Pois a chave da resposta está apenas na fresta da veneziana de minha angular.
Quem sabe a bonança e o alívio estonteante, venha da coca sem cola do índio da floresta?
Porque cuba é um barato e não é livre? Porque nossos ídolos ficam melhor numa camiseta?

Pernas, pernas para correr e penas, peninhas, senões. Simples, leque de muitas penas.
Pena, de todo bicho grilo e sem. Gotas de belas histórias, com sangue na raiz, apenas.
Penas arrancadas sem dó nem ré, diretamente no corpo e na alma da esperança.
O statu quo maquiavelicamente conseguiu virar o jogo: 1000 a 10 pra vingança.

O que fazer agora com o temor, a dor que lateja e não passa: perder a rima, o mote?
Conformar? Tomar overdose de "teleignorantol" na veia e montar n’outro bote?
Talvez, o melhor para não endoidecer: é engolir a seco um comprimido de "burril",
abandonar a trincheira e genuinamente mandar todos para a p.q.p.

Essa é dedicada a delicada entrevista do nosso presidente Lula ao Pedro Bial. Também
para toda a galera (d)essssperta da Rede Globo. Dia desses, ouvi entrevista de um filósofo (do café filó)
aqui de Minas, na rádio CBN. O cara tem idéias bem articuladas, ou seja: tem as credenciais
e o discurso "cult" que interessa aos que comandam a coisa. Deu o recado para divulgar seu evento, aos que gostam de masturbar os neurônios e não o pensamento. Parece que ele, tem restrições ao Hugo Chaves (também tenho)
mas digo que tenho muito mais ao Bush, seu Jesus e toda a corja de americanos, que querem transformar
o mundo num canil gigante de "cachorros ensinados". Que viva Hugo Chaves, muito mais que
o ideal americano de donos mundo. Ele é radical? É sim, mas um radical livre!
Não é só mais um radicalzinho chick. Desses tipo ex-rato morador de porão com o corpo
loteado por tatuagens e penduricalhos que se vendem na mídia por qualquer merreca. Ô gente hard sô!
Por enqanto aqui ó! O sistema é bruto, sem saber direito mesmo, onde colocar pontos e virgulas.
Aqui a goiaba é comida com bicho e o que mais vier. É "panhada" no pé e não no sacolão. Última:
será que o homem, não sabe quem o traiu ou tem o rabo preso e não pode dizer?
Não creio que tamta inocência caiba num homem de tamanho quilate.

2 Comments:

Anonymous Flávia said...

Diovvani, perdoe-me a demora em vir aqui, responder a um post que deixaste em meu blog. Primeiro, a intenção é agradecer-te a visita e convidar-te a voltar outras vezes, a deixar tuas idéias e impressões, que para mim são sempre valiosos. E sim... estou triste. Não fui sempre assim, mas noto que meus escritos transcedem este sentimento. Talvez seja mais fácil escrever na dor e sobre ela, do que quando tudo está bem... de qualquer forma, tua sensibilidade captou isso. E ao vir aqui, gostei muito de teu blog. Voltarei sempre, espero que mais feliz!
Abraços.

domingo, janeiro 15, 2006 4:51:00 PM  
Anonymous Anônimo said...

Há muito sabemos a força dos tentáculos globais capazes de fazer e desfazer políticos,
bastando para tanto que façamos qualquer coisa que o mestre não mandou. Ao olhar a história veremos Ibsens desmatados, Ibrahins dilapidados. Depois apenas uma nota de radapé. Um repórter a pedir delculpas.
O mesmo vemos agora acontecer, o polvo plim-plim contra a lula nonópode. Não q achemos que
esses sêres que tranmitam em Jucelinolândia sejam inocentes, mas que a justiça seja feita por
quem de direito.
Se a entrevista fosse feita à época imperial o miador seria guilhotinado, aonde já se viu a filmadora ser colocada acima do entrevistado com a nítida pretensão de mostrá-lo fragilizado, enfraquecido.

Cuidado com os que vem salvadores. Alquimistas aparecerão, subirão as serras e farão nevar em montanhas. As heróicas doses apenas nos darão um barato passageiro pois sabemos que as helênicas 'quando fustigadas não choram se ajoelham, pedem, imploram'. Aos garotos pediremos apenas que aprendam com os q sabem fazer, q que deixem aparecer os Azeredos para azedar o brinde dos que acham que só os que hoje estão no poder o fizeram.

O ruim é que as venezianas apenas nos deixam ver pequenos lances da verdade. Prefiro as janelas
e as portas abertas.

A coca de Evo ainda será provada. Esperamos que seja positiva, que não seja apenas um topor
passageiro.

Diante do acima colocado e sabendo que não podemos ser nefelibastas e esperar que os dominadores entreguem o poder a quem não bebeu perrier, sorbounes. Mesmo contrário à reeleição, comprada a peso de ouro pelo FHC, espero em
2006 sufragar a favor deste molusco nonópode, que ainda tem a obrigação de mostrar a que veio.

A história não pode estar tão equivocada!

O VIGIA.

segunda-feira, janeiro 16, 2006 9:32:00 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home