poeminhas p/matar o tempo e distrair dor de dente.

sexta-feira, novembro 11, 2005

postagem ao som da música "sua cara" com virna lisi.
_diferença genética_
não consigo fazer duas coisas ao mesmo tempo!
por exemplo:
conversar com alguém ao telefone
e outro alguém, sem senso
chamar meu nome, com fome,
de uma resposta urgente.

- fico nervoso, tenso -
travo no ato, nas quatro!

outro dia, encontrei explicação pouco plausível
mas é a que me foi possível.
é que quando nasci,
há mais de trint´anos atrás,
bebes, riam "atoa" feito bobos
nasciam com [miolo].

a ciência diz que os "vei"
nascem com o tal do neurônio.
milhões ou bilhões deles, não sei!
tem "vei" que nasce, até sem fazer amor.
as mães são tetudas, mamazudas mas estranhas,
algumas não querem mais nem dar de mamá aos "vei",
eles se virão mesmo é com a chupeta da mamadeira.
é! as "veia", mãe dos "vei", não são como minha velha mãe neuza.
eu mesmo custei para desmamar.

lembro do meu tio: "antônio da vó" dizendo:
- êta, menino de miolo mole!
nesta época, eu ia entregar com ele aos clientes,
em sua velha rural willis (azul e branca)
as bonitas cortinas, que a tia consolação fazia.

será que neurônio fica mole? acho que não.
nunca ouvi ninguém dizer: "êta, menino de neurônio mole"
eles se tratam por "vei", todo mundo se resume a "vei". (ae "vei", blz, "vei"?)
outro dia, o vinícius 17 anos, conversava ao telefone com outro "vei"
contei durante o extenso dialogo
+- 42 "vei" entre uma palavra e outra.
tudo era "vei", "vei", "vei".
fiquei intrigado. como eles se entendem se tudo é "vei"?
acho que "tô" sacando "vei", dependendo da entonação
o "vei" pode ser novo né?

os "vei" são plugados, internéticos e hiperativos
já vi um de meus sobrinhos:
jogando game, fazendo para casa,
bebendo refrigerante, comendo biscoito,
gritando com a mãe, xingando a vó,
navegando eufórico na internet
e ainda dizendo ao primo: "deixa que eu atendo"
é o toque do "vei" amigo meu da escola. cada "vei" que liga,
tem um som diferente, configurado no "sem-lugar" dele.
(é "sem-lugar" mesmo e não celular, pois te acham em toda parte.
é por isto que tenho pensado, em me livrar do meu. ser sábio como ronilson e simplesmente não ter).
deve ter mais alguma coisa,
que ele fazia ao mesmo tempo, mas não guardei lembrança.
é que ainda tenho miolo,
não fiz up-grade, dizem que não sou compatível.

para meu irmão de alma, amigo, sócio e ídolo vivo: ronilson marcos de souza e sua bela simone. o ronilson, regula idade comigo, mas desconfio que ele foi cobaia nos testes de deus com os tais neurônios. porque presencio sempre, ele conversando ao telefone, fazendo programa e ainda respondendo a duas ou três perguntas ao mesmo tempo. isso sem dizer, que ainda fica atento ao chá, que deixa esquentando no fogão da cozinha. falando em chá, tem um tempinho que a gente não toma né nil? bom, este não é poeminha, não é crônica, é inclassificavel, é um "linguição" que fica valendo para o feriadão. acho que não vou trabalhar segunda e quarta feira tem mais, ai sim, poeminha. não vai ter essa canseira novamente tá bão "véi"?

2 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Acho que tambem tenho miolo.
Somos de outros tempos ou vivemos em outro tempo ?
Gostei, só hoje deu para sentir um pouco do seu trabalho.
Continue nos ajudando com sua inspiração.

do amigo
Antonio Bastos

sábado, novembro 12, 2005 9:10:00 AM  
Anonymous Vinícius said...

E aí véi... como já te disse, meus neurônios tem memória RAM, não hd... ele age rápido, mas esquece quando desligado...

sábado, novembro 12, 2005 1:50:00 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home