poeminhas p/matar o tempo e distrair dor de dente.

segunda-feira, janeiro 30, 2006


Postagem ao som de Ivan Lins com "Somos todos iguais nesta noite."
_Iara Rainha das Máguas_

Iara emergiu das águas,
salvou-se!
Agarrou-se
como gata,
aos galhos da árvore vida.

Ainda bem! O ventre
que pariu a menina
não conseguiu
afogá-la no útero da lagoa.

Bom seria se houvesse sempre
um anônimo herói José,
sem a cruz da mídia nas costas
ávida para crussificar uma mulher doente.

Será que a culpa é 100%
apenas da mãe Simone?
Ou das meninas sem pai
sem pátria, sem país e sem nome?

Será que não pode ser dividido esse alto preço
Com os que na tv e na mídia promovem o big estupro,
da inocência virgem ainda no berço?
ou vale tudo mesmo pela audiência e lucro!?

Melancólico, mas a maioria das pessoas
que se comovem com a sina de Iara
sem nenhuma vergonha na cara
continuarão achando que são gente boa.

"Esses que cegamente seguirão, assistindo e aplaudindo programas como:
Faustão, Ana Maria Braga, Caldeirão do Huck, Netinho, Gugu, Silvio Santos, Ratinho, João Gordo, Leão, Márcia, Sonia e você, Datena (abutres da noticia) João Kleber, Jacaré, Hebe Camargo, Adriane Gallisteu, Casa dos Artistas e Big Brother. Paro por aqui, porque tudo isto fede e aborta em mim a criança esperança de que as coisas melhorem."

.
Para todos aqueles que estão se doendo com a história de Iara, mas que além dos vidros de seus carros, fecham também os olhos e o coração para os "pivetes", que a nossa pátria não para de parir. Assusta o poder que a mídia tem de comover! Me assusta mais ainda pensar no que será dos filhos das crianças de hoje educadas por Xuxas angelicais e outras de igual quilate destrutivo. Aos que não conseguirem adotar Iara, sugiro: adotem outra criança, façam de conta que é ela. Já que estão mesmo vivendo no mundo do faz de conta é só mais um. Garanto que agora mesmo, bem perto de qualquer um, qualquer esquina desse Brasil gigantesco, tem alguma criança precisando de um pai, de uma mãe ou de um simples e curto bate-papo no sinal de transito, para que ela dê mais um passo na direção do futuro cada vez mais incerto. No Brasil, na África, no Afeganistão e em outras partes do planeta, tem muita gente e não somente criança se afogando não numa lagoa chick, mas num verdadeiro mar de miséria e violência. Há quanto tempo ouvimos falar disto? Mas quem de fato pode fazer alguma coisa concreta, simplesmente os explora ainda mais emprestando o dinheiro que escraviza com o chicote dos juros. Mantendo-os lá, para quando algum belo e bondoso artista de holliwood precisar se auto-promover e reinvidicar uma vaguinha no céu.

1 Comments:

Anonymous Anônimo said...

Todos os dias somos afogados nas Pampulhas do esquecimento, dando adeus à desconhecidos que fingem nos amar, nos repetir e nos testemunhar. Deixemos as crianças morrerem a míngua para que o monstro popozão não as engula...
G.A.

terça-feira, janeiro 31, 2006 12:40:00 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home