poeminhas p/matar o tempo e distrair dor de dente.

sexta-feira, outubro 27, 2006

Postagem ao som das músicas Talismã e Dia Branco - Geraldo Azevedo. [OuçAquiÓ]
(Infelizmente não sei o autor desta foto)
TARDE VIVA
Uma tarde viva-solar de sábado e a
varanda lavada, convida ao descanso.
Sorvo aos poucos o suco que fiz,
com casca de laranja lima.
Ela, na rede; olha verde, umas distâncias.
Contemplá-la... Oxigena minhas idéias.
Barulho d´água caindo no lago-ninho-de-pedras.
Uma vara, sem pescador na espera.
Tucanos e sabiás nas amoreiras.
Um colchão de solteiro, para casar
e deitar, com minha preguiça.
Uma caneta e uma folha, para esses rabiscos.
(vã tentativa de embrulhar o presente)

Na sala um velho rádio, sintonizado na Itatiaia 6.10 am.
Propaganda do "café fino grão" e outras.
Acordes e sons, dumas canções fora de moda.
Casinhas de marimbondos penduradas nas telhas.
Latidos de cachorros nos cafundós.
Mugido de bois, no curral das lonjuras.
Poucas nuvenzinhas-brancas-miúdas, bordando o azul.
Vozes que não contam-me de onde partem.
Galos cantores chamando Ave-Maria.
Bailado arisco de beija-flor, ao redor do pé de Ingá.
Agora... Uma bicadinha na "marvada" da pinga,
para turbinar meus sonhos.
... É que deu-me, uma vontade lascada,
de dormir no colo, desta tarde... viva-solar.
...
. Estava ouvindo o programa VIVA A TARDE com o radialista Eduardo Lima.

12 Comments:

Blogger Mary said...

Belas imagens! Também quero um colo destes! :)

Beijos.

sexta-feira, outubro 27, 2006 6:15:00 AM  
Anonymous Marilena said...

que lindo o lugar que pude visitar através das suas sensações. que vontade de espeguiçar-me no colo daquela tarde. obrigada. beijos.

sexta-feira, outubro 27, 2006 7:55:00 AM  
Blogger Rayanne said...

Os olhos umedeceram, Dio.

Pude ouvir o gorjeio dos pássaros, água conversando pedras, quase senti no ar o cheiro morno da serra. Dava para fotografar o instante e morar nele, para sempre.
Uma nostalgia de crispar a pele.
Porque essa perfeição a gente tem tão pouco.

**Estrelas saudosas**

sexta-feira, outubro 27, 2006 8:21:00 AM  
Anonymous ariane said...

Êta coisa boa de se viver,hein amigo das montanhas!!!

...deu até para respirar seus montanhosos ares Gerais...

beijos
ótimo final de semana!

sexta-feira, outubro 27, 2006 1:53:00 PM  
Blogger Clara said...

me deu vontade de dormir também...
Me fez lembrar quando morava em Goiânia... Várias tardes assim...
"Eterni-tardes"...
Beijos!
Sim... adorei conhecer sua arte musical! Foi então presentedo com dois dons incríveis: música e escrita!!! - rs

sexta-feira, outubro 27, 2006 3:21:00 PM  
Blogger Múcio Góes said...

pow, cara! fui nas Gerais, agora! Belíssimo foto-conto-poema!

Adorei!

[]´s

domingo, outubro 29, 2006 8:50:00 AM  
Blogger Octávio Roggiero Neto said...

Paisagem de sossego, que gostoso espreguiçar-me nesta tarde viva!
Que vontade de estar ali, escrevivendo o que você poetou, ouvindo uma am. e as vozes sussurradas nos confins da tarde.
Você é precioso, Diovvani, preciosíssimo!
Té mais ler!

domingo, outubro 29, 2006 10:14:00 AM  
Anonymous Janaína Calaça said...

Eita como me dá vontade de conhecer essas terras e tomar uma pinga amiga com vc e com a moça dos olhos verdes. :)
Aqui se vive na correria, no vai-vém de trabalho-casa. Aqui não se tem esse cheiro de terra molhada. Um dia ainda vou recortar um pedacinho de terra pra mim.

Beijoooooos

Jana

domingo, outubro 29, 2006 10:39:00 AM  
Anonymous marcos pardim said...

diovvani, parceiro das gerais, mas que trem danado de bão é essa sua vidona de cantador, poeta e amante de uma dona de olhares esverdeados, hein. abração nocê, meu véi...

segunda-feira, outubro 30, 2006 7:08:00 AM  
Anonymous pedro pan said...

, cinematográfico! é possível ver todas as cenas, personagens, trilhas sonoras. e sentir a mineiridade.
, magistral...
|abraços meus|

segunda-feira, outubro 30, 2006 7:19:00 AM  
Anonymous pedro pan said...

, cinematográfico! é possível ver todas as cenas, personagens, trilhas sonoras. e sentir a mineiridade.
, magistral...
|abraços meus|

segunda-feira, outubro 30, 2006 7:19:00 AM  
Anonymous Paulo Vigu said...

"Diana me dê um talismã..." Salve tudo que li aqui. Vim pelo faro e acertei. Há musicalidade, entrelinha e poesia. Dormir no colo da tarde viva-solar deixa tudo menos linear. Gostei. Mergulhe no Riodaqui/ abraço poético/ Paulo Vigu

quarta-feira, novembro 01, 2006 7:42:00 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home