poeminhas p/matar o tempo e distrair dor de dente.

segunda-feira, setembro 04, 2006

postagem ao som da música "e.c.t" com cássia eller de nando reis, marisa monte e carlinhos brown.
_indomáveis_
palavras
parecem domadas na imensidão-da-fazenda-dos-dicionários
mas
quando
s o l t a s
nos campos
dos neorônios alados
do pensamento
são cavalos selvagens
galopando linhas
e l e t r o des c a r d i o g r a m a d a s
de h o r i z o n t e s
des
conhecidos.
...
gravura de paul klee
_pelada_
um pé descalço
faz gol
dois chinelos
também.

29 Comments:

Blogger Rayanne said...

_indomáveis_

Lindo.
lindo.
LINDO!!!
O galope das palavras atropelou meu peito, pisoteou meus olhos, derrubou meu jeito...

**Estrelas**

segunda-feira, setembro 04, 2006 12:22:00 PM  
Blogger Rayanne said...

**Ps:. vc se importaria se eu qualquer hora escrevesse algo galopante sobre a mesma idéia? (cito a inspiração)

*estrelas*

segunda-feira, setembro 04, 2006 12:24:00 PM  
Anonymous marcos pardim said...

é meu velho, fiquei aqui com cara de quem carimba postais... palavras e gols (duas paixões incorrigíveis deste teu amigo). e já tentei: 1) domar palavras 2) fazer gol com pés descalços (ai, minhas "tampas" dos dedões!!!) 3) fazer ou defender o gol protegido por dois chinelos fazendo as vezes das balizas. passear por aqui é contaminar-se de poesia, meu caro. cum deus...

segunda-feira, setembro 04, 2006 3:03:00 PM  
Anonymous marcos pardim said...

é meu velho, fiquei aqui com cara de quem carimba postais... palavras e gols (duas paixões incorrigíveis deste teu amigo). e já tentei: 1) domar palavras 2) fazer gol com pés descalços (ai, minhas "tampas" dos dedões!!!) 3) fazer ou defender o gol protegido por dois chinelos fazendo as vezes das balizas. passear por aqui é contaminar-se de poesia, meu caro. cum deus...

segunda-feira, setembro 04, 2006 3:03:00 PM  
Anonymous marcos pardim said...

é meu velho, fiquei aqui com cara de quem carimba postais... palavras e gols (duas paixões incorrigíveis deste teu amigo). e já tentei: 1) domar palavras 2) fazer gol com pés descalços (ai, minhas "tampas" dos dedões!!!) 3) fazer ou defender o gol protegido por dois chinelos fazendo as vezes das balizas. passear por aqui é contaminar-se de poesia, meu caro. cum deus...

segunda-feira, setembro 04, 2006 3:03:00 PM  
Blogger Bruna Rasmussen said...

é.. palavras.. elas apenas fluem mais que o ar que respiro.. haha

beijos

segunda-feira, setembro 04, 2006 4:08:00 PM  
Anonymous Lizzie said...

Em pensar que cada palavra tem um significado tão gostoso de se ler... A criatividade é fruto de um dom, e você o tem magnificamente.
Pode ter certeza que visitarei-o sempre que possível. Linkarei-o, posso?
Beijos :*

segunda-feira, setembro 04, 2006 7:20:00 PM  
Anonymous pedro pan said...

, e você cuida bem das palavras, das sensações... podem ser indomáveis, mas fazem um espetáculo interessante por demais...
|abraços meus|

terça-feira, setembro 05, 2006 7:50:00 AM  
Anonymous Dora said...

Aqui nesse seu espaço, as palavras pularam o cercado de arame e estão soltas, mesmo...Elas conversam, até, com a gente!! Mas, viram potrinhos selvagens, às vezes...e a gente precisa laçá-las!! rs
Eu sou sempre muito amiga dessas suas palavras que ficam ao ar livre, aqui!!
Abraço.
Dora

terça-feira, setembro 05, 2006 10:27:00 AM  
Anonymous Marilena said...

e é lindo ver essas suas palavras galopando em suas linhas-poesia ... abraço.

terça-feira, setembro 05, 2006 10:27:00 AM  
Blogger douglas D. said...

traves feitas de chinelos calçam a infância que hoje preservo em imagens-palavras, soltas.
abs.

terça-feira, setembro 05, 2006 12:33:00 PM  
Blogger Ariane said...

realmente ninguém segura este animal selvagem e alado chamado pensamento...que bom !
a liberdade leva ao longe...
beijos salinos

quarta-feira, setembro 06, 2006 10:50:00 AM  
Anonymous claudia said...

adoro sua precisão. poucas palavras, uma inundação de imagens.. beijos!

quarta-feira, setembro 06, 2006 11:38:00 AM  
Blogger Octávio Roggiero Neto said...

Na economia de palavras, a exuberância de Poesia.
Adorei este poema!

quarta-feira, setembro 06, 2006 11:45:00 AM  
Blogger Clauky Saba said...

uau!!!

"palavras
parecem domadas na imensidão-da-fazenda-dos-dicionários "

quando soltas são, realmente, cavalos alados!

em tempo: Quando vc passou no meu cantinho, estava eu na mesa de 'operações'. Acabo de parir meninas-palavras... estão lá, recém-nascidas.

poetabraços

quarta-feira, setembro 06, 2006 2:15:00 PM  
Blogger Rayanne said...

Já está lá. Chama-se galope vermelho...quando puder, dê uma olhada.

**Estrelas**

quinta-feira, setembro 07, 2006 6:11:00 AM  
Anonymous Loba said...

Por onde começo? Ah.. pelos gols! Perfeito o poema. Permite um sem-número de itnerpretações e neste momento estou a colocá-lo na minha falta de tempo! rs...
Já Indomáveis é o verdadeiro trato de letras e imagens. Cavalos selvagens são pura liberdade e qdo vc os coloca em horizontes desconhecidos eletrocardiograma qualquer coração! rs...
Beijos querido. Prazer imenso te ler.

quinta-feira, setembro 07, 2006 7:12:00 AM  
Blogger alice said...

querido diovanni,

muito obrigada por sua visita

vim também le-lo amigo

tem sempre uma subtileza atroz, se me permite

um grande beijinho

alice

quinta-feira, setembro 07, 2006 8:28:00 AM  
Blogger Nanna said...

Palavras revoltas em meio ao nosso céu interior...

Beijos!
:)

quinta-feira, setembro 07, 2006 2:24:00 PM  
Blogger Marla de Queiroz said...

Moço,
Impossível comentar teus poemas apenas com palavras que cabem na boca ou nos dedos...
Vim agradecer a visita e dizer que temos em comum, pelo menos, as boas referências.Pelo mais, o amor por essas letrinhas que se (des) organizam e bordam versos.
Beijos.
Volto sempre.

sexta-feira, setembro 08, 2006 7:59:00 PM  
Blogger Húmus Wufus II said...

com a cabeça também se faz gol.

gostei do teu blog.

abraço

sábado, setembro 09, 2006 2:23:00 AM  
Blogger Leandro Jardim said...

Interessante isso aqui, hein?!
Gostei a pampa!!!

sábado, setembro 09, 2006 4:53:00 PM  
Blogger Nilson Barcelli said...

eletrodescardiogramadas ...!
Para além de bom poeta é um excelente inventor de palavras.
Um abraço.

sábado, setembro 09, 2006 6:37:00 PM  
Anonymous l, rafael nolli said...

Oá, camarada! Sumi por uns dias e encontro aqui uma dúzia de poemas muito bons - ilustrações lindas, Pull Klee e Magrite!!! Dei uma geral e me impressionou bastante tanto esse poema de hoje quanto o primitivo arremessador de palavras - que faz jus ao nome interessante e inteligente! Beleza pura, meu velho! Creio que voltarei vir mais amiúde de novo! Abraços!

sábado, setembro 09, 2006 10:41:00 PM  
Blogger Mary said...

Adorei!

Palavras são tão intrigantes quando voam por nosso pensar...


E acho que a emoção do gol é sempre boa... :)

Beijos, querido!

domingo, setembro 10, 2006 12:11:00 AM  
Anonymous ObservadOOr said...

As montanhas daqui nem são tão volumosas, estão mais para os campos de pelada. (gostei muito dele... simples e imaginário). Abraços

domingo, setembro 10, 2006 9:14:00 PM  
Anonymous Anônimo said...

Dio,

Uma vez vc me disse, palavras soltas são só palavras, mas quando cercadas, são sentimentos fieis,e com sentido.... lembra-te disto?
Tuas palavras são vivas em minha memória, alías, muitas das vezes são minha memoria, vivida; falada......
Kátia Silva

segunda-feira, setembro 11, 2006 11:13:00 AM  
Blogger Mendoscopia said...

_pelada_
rssss, adorei
incrível como vc consegue nos fazer recriar as imagens com tanta sutileza!
Bjos
Marcia

sábado, setembro 16, 2006 12:55:00 PM  
Blogger Mendoscopia said...

Mto bom!
Palavrinhas... Ai, essas domadores de seres. Tomam nossa mente, nosso corpo e se fazem presente. Queira vc ou não.
E que continue assim!

Jú Pestana

domingo, setembro 17, 2006 1:51:00 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home