poeminhas p/matar o tempo e distrair dor de dente.

quinta-feira, novembro 09, 2006

Postagem na companhia de Marla Queiroz, que não me deixa parar de rir, com seus e-mails. Dá sossego morena!
BRINCADEIRA SEM GRAÇA
Sugaram todo ki-suco de groselha
do meu chup-chup. Deixaram lá no chão
o saquinho, vazio de delícia vermelha.
Tô de saco-cheio, de sacanagem de irmão.
...
Dedico ao bom ladrão, daqui de casa mesmo; que como eu, devia estar com saudades dessas coisas da infância. É que outro dia, comprei dois, de um menino loirinho (bem parecido comigo quando criança) que estava vendendo na rua – aaAêê U chup-chup, aaAêê U.... Paguei a ele R$ 1,00 e deixei o troco. Ele insistiu: "pega mais dois... " e eu disse que podia ficar. Ele sorriu ingenuidade e seguiu a Rua Caparaó, contando moedas; olhando para trás, como que agradecendo minha oferta. Foi sumindo na rua de chinelos trocados: pé-dum, pé-d´outro (cada um duma cor). A gorjeta que deixei, foi como muitas, que um dia, como ele; também eu, de bom grado recebi. Eu costumava vender essa delícia-gelada na beira do campinho, onde eu jogava umas peladas – bem aqui perto, no bairro novo riacho; onde hoje, é a igreja católica. (...) Pois é... Cheguei na casa de minha mãe e guardei à guloseima na geladeira. Eu queria saboreá-la mais tarde e com folga, mas alguém mais folgado do que eu, fartou-se; do que mais tarde, faltou-me. Mas apesar d´eu estar meio menino-aguado, perdôo o irmão-larápio, do meu chup-chup.

20 Comments:

Blogger Múcio Góes said...

Ô, meu bom Dio, que delicia de texto!! dizem, que quem nao tem irmão, brinca só; mas, se nao fosse o seu, esse texto nao nos teria (tao bem) alimentado, hj.

brigado, viu?

abração!

quinta-feira, novembro 09, 2006 10:48:00 AM  
Blogger Marla de Queiroz said...

Ahahahaha...Eita, Mineirinho!!!


Hoje é seu dia de reclamar, né???
É uma que atenta, o outro que rouba,
o saco vazio, saco cheio...

Mas a delícia de ler vc contando valeu o doce que foi roubado.

Tem "textículo" novo lá...vá ver, vá! rsrsrsrs...

Seu engraçado.

quinta-feira, novembro 09, 2006 12:11:00 PM  
Anonymous Mônica Montone said...

Ai, que saudaaaaaades da simples palavra chup chup, rs*.. Aqui no Rio é sacolé [sem graça, né? rs*]

beijos, querido Diovvani e obrigada pelos pousos carinhosos no Fina Flor ;0)

MM

quinta-feira, novembro 09, 2006 1:16:00 PM  
Anonymous Anônimo said...

Ai Diovvani,seu texto causou-me saudade. De um passado relativamente recente mas que parece tão distante. Encontrei seu endereço através de um email do João. Estou aqui, deliciosamente, matando saudade.

quinta-feira, novembro 09, 2006 5:05:00 PM  
Blogger Bruna Rasmussen said...

essas retomadas inesperadas à infância são como mágica nos levando a um tempo que já foi.

beijos

quinta-feira, novembro 09, 2006 6:34:00 PM  
Anonymous Robson Carvalho said...

Camarada, que legal, massa este texto, me fes lembrar, os meus tempos lá na rua das acácias, na damas ribeiro, ou mesmo na josé custódio no Eldorado, você sabe de onde estou falando, vou te ensinar um macete, quando eu ganhava uma gorgeta eu convertia ela em chup-chup, moeda corrente dos vendedores de chup...,dava uns 3 ou 4 até 5 "sacolés", para que outro folgado n. me deixasse na mão. Amigão T+.

quinta-feira, novembro 09, 2006 6:47:00 PM  
Anonymous Paulo Vigu said...

Eita moleque - sofrendo de criancismo. Chama Manoel de Barros pra fazer um belo verso desse causo. Sim, Manoel seria capaz de educar um batalhão de formigas para que as mesmas guardassem suas guloseimas. Grato pelo convite poético - Riodaqui/ [ ]`s aí / Paulo Vigu

quinta-feira, novembro 09, 2006 8:06:00 PM  
Anonymous Dora said...

Texto muito "educativo"...rs , cuja lição de moral é: "não deixe para amanhã o que pode saborear hoje"...rs Morri de rir do larápio esperto e morri de dó de você, porque eu entendo disso. Fui uma vítima reincidente desses furtos...Tenho três irmãs "muito mais espertas" do que eu...
Abraço forte.
(não consegui abrir o anexo a que vc se referiu...e mandei e-mail dizendo isso.)
Dora

quinta-feira, novembro 09, 2006 8:20:00 PM  
Anonymous Dora said...

Texto muito "educativo"...rs , cuja lição de moral é: "não deixe para amanhã o que pode saborear hoje"...rs Morri de rir do larápio esperto e morri de dó de você, porque eu entendo disso. Fui uma vítima reincidente desses furtos...Tenho três irmãs "muito mais espertas" do que eu...
Abraço forte.
(não consegui abrir o anexo a que vc se referiu...e mandei e-mail dizendo isso.)
Dora

quinta-feira, novembro 09, 2006 8:20:00 PM  
Anonymous Dora said...

Sumiu meu comentário! Esse blog é comedor de comentários!

quinta-feira, novembro 09, 2006 8:22:00 PM  
Anonymous marcos pardim said...

infância é - ou deveria ser - a busca da terra do nunca de cada um de nós. e convenhamos, diovvani, inocentes sacanagens com irmãos e/ou amigos é uma delícia, nénão? ainda que sejamos as vítimas, vezenquando (rss...) cum deus, velho.

sexta-feira, novembro 10, 2006 6:22:00 AM  
Anonymous Marilena said...

que delícia de texto recheado de infância ... beijos menininho.

sexta-feira, novembro 10, 2006 8:48:00 PM  
Blogger Rayanne said...

Que gosto de infância, quando roubado, tem sabor dobrado, prazeres d'um menino levado.

Dio,
Eu apenas queria dizer ao teu carinho: muito obrigado.

Que o sol tá querendo entrar aqui, e eu tenho tanta lembrança prá pôr no varal!!!

Um dia ainda sumo daqui e vou prá um tal de "Ninho das pedras", conhecer um mineiro doce e tranqüilo, conhecer Vanusa, o amor do moço e ouvir a passarada debruçada sobre os poemas que a árvore oferece.

**Estrela**

sábado, novembro 11, 2006 5:42:00 AM  
Anonymous pedro pan said...

, saudade de infâncias, e uma crônica para nosso olhar saborear.
|abraços meus|

segunda-feira, novembro 13, 2006 9:51:00 AM  
Anonymous Mônica Montone said...

Nossa, esse template ficou lindo ;o)

beijos e boa semana

MM

segunda-feira, novembro 13, 2006 11:19:00 AM  
Blogger Octávio Roggiero Neto said...

Oi, Diovvani!
Então... O Pedro disse que o prazo fatal seria até sexta-feira, por isso que não mandei, mas obrigado pelo convite!
Abraços!

segunda-feira, novembro 13, 2006 2:17:00 PM  
Anonymous paulo vigu said...

Bom dia poeta mineiro! Pois é, agradeço-lhe mais uma vez o convite sobre o post poético - Faltou tempo aqui e eu numa correria, mais perdido que surdo em bingo. Vou no próximo, ok! Mergulhou no riodaqui, grato/[ ]`s/ paulo vigu

terça-feira, novembro 14, 2006 6:58:00 AM  
Blogger Loba said...

Tou aqui sem saber onde há mais poesia... se no poema ou na prosa!
Vai ser bom de letras!!!!
Beijoconas

quinta-feira, novembro 16, 2006 3:18:00 AM  
Anonymous Anônimo said...

Olá Dio. Passei por aqui e me deparei com essas delícias de lembranças. Apesar de na meninice estarmos separados por distâncias que aos nossos olhos de meninos eram astronômicas, já eramos destinados a amigos e irmãos. Até, podemos dizer, na pobreza, eramos iguais. Me lembro que em casa costumávamos guardar o chicletes chupado debaixo da mesa para mais tarde chupá-lo novamente. Algumas vezes não o encontrávamos pois em outras bocas estava a ser deliciado como se fosse coisa nova, recém desembalada. Motivos de choro à época, hoje de risos.
Abraços,
Do amigoirmão Ronilson.

quinta-feira, novembro 16, 2006 8:07:00 AM  
Blogger Octávio Roggiero Neto said...

Eita irmão malandro esse o seu! Se eu te contar, aqui em casa é igualzinho: tá cheio de bons ladrões!
Bela história, mais bela porque real!

sábado, novembro 18, 2006 5:10:00 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home