poeminhas p/matar o tempo e distrair dor de dente.

quinta-feira, dezembro 14, 2006

Postagem ao som da música Manoel, o audaz - Toninho Horta e Fernando Brant.
POEMINHA PRETENCIOSO
(Liberdade, ao Palácio da Liberdade! )

Nas Minas Gerais
o Palácio do governo foi batizado
com o nome de "Liberdade".
(Também está, localizado na praça, de mesmo nome.)

Mas ele é como um pássaro preso,
pois está lá, há vários governos:
imóvel, cativo entre grades.

Os (in)sensíveis homens do poder,
nunca ousaram: asas darem, ao Palácio.
Mas a liberdade é muda, que cresce em silêncio!

Hoje o Palácio, é habitado por um Tucano.
Dizem que ele ainda pousará cheio de planos,
no centro do planalto central. Que seja engano!

Fosse eu, que mandasse decretava:
- Abaixo as grades, deixem o povo entrar!
Liberdade ao Palácio!

Acho um contra-senso,
nas terras dos inconfidentes,
o "Palácio da Liberdade", ainda, prisioneiro de grades.

Fosse eu o mandante,
faria valer agora para o Palácio
a frase estampada em nossa bandeira,

"Libertas quae será tamém" .
Decretaria já:
- Liberdade ao Palácio!
...
O governador Aécio Neves, inaugurou na noite de 12.12.06 a reforma do Palácio da Liberdade que, custou R$ 7 milhões. Inaugurou também, a iluminação de Natal da Praça da Liberdade. Ao todo, 240 mil lâmpadas e 600 bolas luminosas enfeitarão a Praça da Liberdade; até o dia de Reis, 06 de Janeiro. Tudo muito bom e bonito, mas acho que "esqueceram", de desengaiolar o Palácio. Se bem que, os poderosos dos dias que correm, merecem mesmo é a...é a... é a... gaiola do desprezo. Clique aqui.

21 Comments:

Blogger Edilson Pantoja said...

É verdade, Diovanni. É o que merecem. Se você ainda não conhece, sugiro um pequeno, antigo, mas instigante texto chamado "Discurso da Servidão Voluntária", de La Boétie. Está disponível na rede, bastanto procurá-lo via google e depois fazer download.
Quanto ao comentário, fico grato e muito feliz. Eu escrevo um capítulo por semana. Escrevi o 28 ontem e ainda não tenho o 29. Abraço, grande!

quinta-feira, dezembro 14, 2006 8:02:00 AM  
Blogger Múcio Góes said...

É, caro Dio... a liberdade está no ar... e o povo segue preso à miséria, à fome, à violencia, e, tantas outras mazelas, estas que nao atingem palácios. Adorei teu poema-protesto! E a música, diga-se, perfeita!

"o jeep amarelou..."

[]´s

quinta-feira, dezembro 14, 2006 9:35:00 AM  
Anonymous l. rafael nolli said...

Meu camarada, estou contigo e não abro: por isso acho, sinceramente, que o poder deveria ser repensado, sobretudo as estruturas do poder: dar ao povo, ao povo mesmo, o que é dele. Reorganizar rua por rua, bairro por bairro, dando força para as lideranças locais, gente de boa fé que tem com o seu carisma e a boa vontade o desejo de tornar o mundo mais justo. Vejo isso em Cuba, onde os poderes estão nas mãos das organizações de rua, das lideranças sociais, que trabalham casa por casa, dentro de suas realidades, tendo maior capacidade de fazer algo de efetivo. Agora, nessa nossa democracia, temos um tucano enjaulado que desconhece a realidade do povo, as suas necessidade - o que é facilmente provado com as suas medidas neoliberais, seus arroubos de grandeza, como esse, de gastar uma quantia altíssima em lâmpadas, enquanto o norte de minas está numa situação dura e difícil! Meu camarada, é muito bom e significativo encontra nos blogs poemas politizados, denunciando, lutando! Abraços!

quinta-feira, dezembro 14, 2006 10:45:00 AM  
Anonymous rubo medina said...

Diovvani, muito interessante o seu poema, engajado. E esta notícia sobre a reforma do palácio, li hj, um pouco atrasado... rs, mas a principal causa da minha visita é um comentário seu no HOMEM DO FAROL, o qual não entendi exatamente pq nao tenho acompanhado a história, mas senti que existe algo em comum entre mim e o Edilson. Também estou escrevendo uma história em capítulos, que chamo de episódios por serem bastante independentes entre si. Chama-se DULCINÉIA e deixo o link aqui. Se vc quiser visitar, será pra mim uma honra. Quanto a nós, acho que temos também em comum. Não o engajamento, claro, mas me parece que é mineiro também...rs.
De qualquer forma, foi bom estar aqui e ler o seu poema. Inteligente e bem construído.
Abraços.

quinta-feira, dezembro 14, 2006 5:53:00 PM  
Anonymous Angel Cabeza said...

Dio, agradeço a tua visita em meu blog.
E que verdade esse teu texto. Enquanto gastam milhões com arrumações para o natal milhões de pessoas morrem por falta de hospitais. E será que o espírito do natal é isso? Acho que eles é que são os espíritos de porco.
Abraços,
Angel Cabeza
www.angelcesar.zip.net
www.angelcabeza.oi.com.br

quinta-feira, dezembro 14, 2006 7:15:00 PM  
Anonymous marcos pardim said...

bengaladas neles e gaiola que faz ver o sol nascer quadrado, manja? e agora, ainda tem o "espetáculo do crescimento": 91% de aumento nos salários dos congressistas. é ou não é um crescimento espetacular nas "riquezas" do país? pensando bem, melhor jaula ao invés de gaiolas neles. são umas feras (bestas?) essas nossas "otoridades".
1 abraço

sexta-feira, dezembro 15, 2006 5:47:00 AM  
Blogger Rayanne said...

Palácio da liberdade.
Preso.
Presas nossas esperanças à grade.
Veja só o que foi feito dessa vez
da nossa louca
nossa pouca
humana sensatez:
Esqueceram que na liberdade
Não cabe a desigualdade
Presente em nosso estado burguês.


Amado amigo,
**Estrelas demais**

sexta-feira, dezembro 15, 2006 6:06:00 AM  
Anonymous rubo medina said...

Diovvani, agradeço o interesse pela minissérie Dulcinéia. Gostaria de pedir: se vc quiser deixar comentário (disse que vai ler desde o início), por favor, deixe sempre no último post. Às vezes a gente perde comentários importantes. E dou o maior valor ao que o blogueiro acha...
Abraços. Bom fds.

sexta-feira, dezembro 15, 2006 8:13:00 AM  
Anonymous rubo medina said...

Diovvani, quero te dizer que estou com um concurso na minissérie. Seria bom vc participar. O prêmio é um livro pra quem ler do Epis. 19 a 30. Caso se interesse, leia o Regulamento no post de 16/09 no meu blog de contos, cujo link deixo aqui.
Abraços. Boa sorte.

sexta-feira, dezembro 15, 2006 8:26:00 AM  
Blogger Nilson Barcelli said...

Se bem me lembro, é a primeira vez que faz um poema claramente político.
E gostei, porque a poesia também pode ser interventiva.
Bom fim-de-semana.
Um abraço.

sexta-feira, dezembro 15, 2006 8:51:00 AM  
Anonymous pedro pan said...

, liberdade ao palácio!
, o poeta se faz aqui porta voz de um povo. grande poema-crônica diovvani!
|abraços meus|

sábado, dezembro 16, 2006 9:41:00 AM  
Anonymous paulo vigu said...

É ... o poeta quer libertar pássaros. Quebrar muros e baixar decretos para que não mais existam gaiolas. Entendo. A história vem repleta de gaiolas. Já a alguns camaradas de caráter duvidoso parece não haver o que deveria haver: celas. Quero ouvir músicas suas sim. Acesse www.estanciadepiraju.com.br e vá em cultura. Tem um som meu lá. Recebeu meu e-mail? Riodaqui.aí.sempre/Paulo Vigu

sábado, dezembro 16, 2006 9:47:00 AM  
Anonymous Mônica Montone said...

Dio, querido.... O que me irrita é a idéia de que esse dinheiro poderia estar em novos equipamentos para as escolas públicas e/ou na construção de moradias.... ai, ai... Ficou bacana o poema ;o)

Beijos e um ótimo natal para você e os seus....

MM

terça-feira, dezembro 19, 2006 3:03:00 PM  
Blogger Edilson Pantoja said...

Caro Diovanni, obrigado por tudo!
Leve esta nova para Vanusa (esposa ou filha?): capítulo novo. Abraço, grande!

quarta-feira, dezembro 20, 2006 8:36:00 AM  
Blogger Bruna Rasmussen said...

não consigo fazer poesia sobre politicagem. admiro quem faz. :)
palmas, guri! está muito boa!

quarta-feira, dezembro 20, 2006 9:20:00 AM  
Anonymous carlos muzilli said...

Diovvani, feliz recomendações deste Manoel Audaz, vim vi gostei linkei. Abraços poéticos

quarta-feira, dezembro 20, 2006 4:36:00 PM  
Anonymous rubo medina said...

Estive por aqui, deixando votos de um Feliz Natal.
Abraços.

quarta-feira, dezembro 20, 2006 6:12:00 PM  
Blogger Luzzsh said...

Dio,

Passando aqui pra desejar Boas festas e que nos encontremos lá no novo ano. Que 2007 seja ótimo para todos nós...

Bjs a vc e aos que lhe são caros...

quinta-feira, dezembro 21, 2006 12:51:00 PM  
Anonymous paulo vigu said...

Mineiro! Empacotei aqui um belo Natal pra você e os seus aí. Tá indo pelo rio daqui. Só não mando queijo porque os daí são demais rs. Riodaquiaí.com.abraço.e.paz - Para o poeta/compositor que tem uma linha de trabalho admirável. Paulo Vigu

quinta-feira, dezembro 21, 2006 8:42:00 PM  
Anonymous marcos pardim said...

diovvani, meu velho, a partir de amanhã vou dar um tempo para a minha velha e judiada carcaça. ter te conhecido e virado teu amigo virtual certamente foi dos belos presentes deste ano. tome uma(s) por mim aí. bom natal, ótimas festas de final de ano e inté novo ano. cum deus, velho.

sexta-feira, dezembro 22, 2006 8:35:00 AM  
Blogger Saramar said...

Poeta, vim lhe desejar feliz natal e aos seus familiares.
Que entre os seus presentes, encontre muitos carinhos, amor e tranquilidade.
beijos

FELIZ NATAL!

sábado, dezembro 23, 2006 8:44:00 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home