poeminhas p/matar o tempo e distrair dor de dente.

segunda-feira, março 26, 2007

Postagem ao som da música Coração de Todo Mundo - Oswaldo Montenegro. [OuçAquiÓ]
AUTO-ELOGIO À MINHA ALMA-PALHAÇA

Não tenho penas.
Tenho pernas.
Por isso:
sei andar e não voar.

Mas sei que penas
de outra natureza,
também moram
dentro de mim.

São elas que fazem cócegas,
na barriga de minha alma.
Para que sempre aflore, em folhas,
no meu lado de flora, uns poemas.

Estes bichos sim...
São da fauna dos alados,
porque são filhos nascidos
do tesão de minhas penas

por minha alma-palhaça,
cheia de graça.

Amém.
...

27 Comments:

Blogger Clóvis said...

Que assim seja,
caro poeta alado
de alma rara
de alma leve


sempre bom caminhar por seus vôos...rs


Meu abraço!

segunda-feira, março 26, 2007 6:13:00 PM  
Anonymous clarice said...

Agora tá explicado... poesia faz cócegas dentro de ti, por isso aflora tão musicalmente.
abraço

ps: Boas escolhas para dedicar poesia. Se eu falar da Lela aqui, vou rasgar tanto elogio que vai parecer balela. Adoro esta moça faz parte dos bons ventos que a net me soprou.

segunda-feira, março 26, 2007 11:08:00 PM  
Blogger Rayanne said...

Ô doçura!!!

Seremos pais, então, da mais linda e-terna música!
Quanto mais vem de ti mais adoro.

Percebi teus paseios pelo Contratempo ontem, lá bem longe nos anos antes. Tão bbom sentir teus passeios caminhando minhas letras e assobiando sorrisos nas veredas dos versos.

E quando venho aqui de visita eu sei -
Dentro de ti mora um anjo, é ele quem te empresta as penas e arrepia tuas letras, provocando sonetos gargalhados.

Querido, querido, querido.
É tão suave leve coisa tanta e nenhuma que teu brilho assemelha reflexo, brincando de esconde nos segredos.

Eu aqui, sempre fã.

Amo muito.

***Todas, todas as estrelas***

terça-feira, março 27, 2007 6:44:00 AM  
Blogger ana maria costa said...

Diovani a poesia é mesmo assim uma coceira, (hihihi) na alma.
que forma agradável/bonita de o dizer que nos mostras.

gostei!

publica na lista migo Dio.

jinhos

terça-feira, março 27, 2007 6:45:00 AM  
Blogger Pedro Paulo Pan said...

, se tens penas, palhas, flores. não serei eu, quem vá dizer. mas tem poesia em a alma, em a calma...
, te enviei um email. depois dê uma olhada.
|abraços meus|

terça-feira, março 27, 2007 8:01:00 AM  
Anonymous Valéria said...

vim aqui por recomendação da Cralice(a moça do jardim de identidades perdidas e reencontradas... e minha mãe postiça)
sua poesia é doce, do tipo de doce que eu gosto: forte e terno...
um beijo

terça-feira, março 27, 2007 8:20:00 PM  
Anonymous Lela said...

A poesia em que, aqui, um dia, senti cheiro de terra molhada, do tesão das penas do poetadasgeraismontanhas, adquire asas e se transubstancia em Poesia-pássaro, Pássaro-POESIA!
Amigo, adorei! O meninopoeta, Manoel de Barros, nos diria que aqui o verbo delira! ;)
Abraço pr'ocê!

terça-feira, março 27, 2007 10:33:00 PM  
Blogger Maria Cláudia said...

Quando li o "bobo, mas alegre" fiquei com vontade de escrever alguma coisa pra vc. Eu risquei-risquei mas nada de bom saiu. Faltou a pena! rs

ADOREI a "alma-palhaça", as "penas" e o caminhos das pernas que riscam o caminho da poesia e os olhos de quem quer aprender a voar.
Beijo grande!

quarta-feira, março 28, 2007 6:21:00 AM  
Blogger Saramar said...

Não é alado?
Você?
Quem nos carrega a alma pelos ares em cada verso?
Lindo!

beijos

quarta-feira, março 28, 2007 6:38:00 AM  
Anonymous Valéria said...

voltando: posso, dis destes, usar um poema teu numa montagem minha? hum?
um abraço

quarta-feira, março 28, 2007 7:29:00 PM  
Anonymous marcos pardim said...

diovvani, meu velho camarada virtual, vou fazer desta oração minha homilía... cum deus.

quinta-feira, março 29, 2007 7:15:00 AM  
Blogger Menina do Rio said...

Neste olhar de tela
eu também acreditava em
me salvar no final...

Não carecemos de penas
pois os sonhos tem asas...

beijinhos

quinta-feira, março 29, 2007 8:25:00 AM  
Blogger Sam said...

Sempre digo q tenho borboletas na barriga e q elas me provocam as mais diversas sensações.
As minhas asas estão na minha mente e elas me levam pra onde eu quero.

Adorei seus poemas!!
Cheguei aqui através do cantinho da Clarice.

Beijo e parabéns.

quinta-feira, março 29, 2007 10:23:00 AM  
Blogger Luzzsh said...

Lindooo poema, Dio....adorei!

Beijos...alma-palhacinha. Rs...

quinta-feira, março 29, 2007 2:18:00 PM  
Blogger Ariane said...

olá amigo da Gerais!!!
tô sumida né? estudando aqui, sobrevivendo ali, e tentando despistar o tempo que me tenta me atropelar...
mas,vir aqui é sempre garantia de doces sorrisos....sua alma palhaça faz coceguinhas em minha alma avoante e avoada :)

saudades e beijos

quinta-feira, março 29, 2007 6:21:00 PM  
Anonymous Carol said...

Amém, caríssimo conterrâneo!
Singelo poema...

sexta-feira, março 30, 2007 3:00:00 PM  
Blogger Octávio Roggiero Neto said...

dar asas ao que nos eleva...
uma revoada incrível de pássaros voa dentro em nós.
só quem sente é que saberá assimilar a beleza deste seu escrito, poeta, a beleza de ter estas avezinhas em milhares estufando o peito.
e pensando bem, as nossas penas são o que nos alegra e o que nos dá ânimo pra enfrentar estes dias tão difíceis.
sim, meu chegado, a Poesia nos faz bater asas; você, palmas.
aquele abraço, seo mineirin danado!
té mais ler!

sexta-feira, março 30, 2007 4:27:00 PM  
Blogger Octávio Roggiero Neto said...

dar asas ao que nos eleva...
uma revoada incrível de pássaros voa dentro em nós.
só quem sente é que saberá assimilar a beleza deste seu escrito, poeta, a beleza de ter estas avezinhas em milhares estufando o peito.
e pensando bem, as nossas penas são o que nos alegra e o que nos dá ânimo pra enfrentar estes dias tão difíceis.
sim, meu chegado, a Poesia nos faz bater asas; você, palmas.
aquele abraço, seo mineirin danado!
té mais ler!

sexta-feira, março 30, 2007 4:27:00 PM  
Anonymous Sayô said...

Lindo ,lindo e lindo!!!
E pra ti Manoel de Barros tb diria :
OS SERES BEIJADOS DE FLORES
DE BRISAS
DE SOL
SABEM MAIS DA TERNURA DAS ÁGUAS.
Assim seja.
Bom fim de semana
beijos

sábado, março 31, 2007 7:26:00 AM  
Blogger Leandro Jardim said...

amém mesmo, belo belo, faço coro!

sábado, março 31, 2007 11:00:00 AM  
Blogger Claudinha said...

Ah, a poesia que nos dá asas, que nos dá pernas e fôlego para atravessar mares e oceanos só por um segundo de por de sol...
Cócegas, melhor assim. Lindo poema! Beijo!

sábado, março 31, 2007 8:10:00 PM  
Anonymous Andréa Motta said...

Dio, querido amigo
um dia escrevi:

Horizonte
Andréa Motta

Quem sabe voar
abraça os sonhos
é feito de céu
é testemunha involuntária

dos sons que flutuam
entre a melodia das estrelas
e do luar prateado

Quem sabe voar
traz n'alma a delicada
ingenuidade
do amanhecer

É feito de brandos
sussurros
e horizontes raros

Quem sabe voar
é calmaria
e temporal

É feito a pincel
tem um jeito danado
de armadilha e pecado

de palavra ao leu.

Não é preciso ter penas e asas para voar..você voa e nos embala com as mais belas poesias.
Beijos
Andréa

domingo, abril 01, 2007 6:37:00 AM  
Blogger Múcio Góes said...

amém.
e
amemos
também.

Esse Dio... rsrs

Bom demais!

[]´s

domingo, abril 01, 2007 4:03:00 PM  
Blogger Juliana Pestana said...

Lindo. Lindo. Doce, doce... Diovvani.
Adoro vir aqui!!

domingo, abril 01, 2007 7:26:00 PM  
Anonymous paulo vigu said...

Ícaro manda dizer que fica feliz porque o poeta sabe que penas de outra natureza lhe habitam. Riodaqui.água e abraço.Paulo Vigu

segunda-feira, abril 02, 2007 9:08:00 PM  
Blogger bambam said...

apenas você dá conta de plenos e perenes poemas que dão penas à imaginação, rimas visuais!

terça-feira, abril 03, 2007 3:21:00 PM  
Anonymous Beatriz Galvão said...

Dio, caro mio!
As penas
que escrevem poemas
às vezes coçam
ou roçam dores
eternidade adentro

e você voa sim...
Voa sim...

Te beijo sempre!

segunda-feira, abril 09, 2007 5:21:00 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home