poeminhas p/matar o tempo e distrair dor de dente.

terça-feira, abril 10, 2007

Postagem ao som da música Meu Amor Meu Bem Me Ame - Zeca Baleiro. [OuçAquiÓ]

Me deixe respirar um ar,
que não seja
o que sai das tuas narinas.

Deixe de calçar meus passos,
como se eles fossem
suas sandálias.

Ocupe outros espaços,
deixe de vestir minha sombra
como se ela fosse sua segunda roupa.

20 Comments:

Anonymous Janaína Calaça said...

Esse poema pede liberdade e um mundo diverso do corpo que se posta tão junto ao do eu-lírico. Outros ares, outros cenas, não apenas os olhos tão pertos, mas tudo aquilo que o mundo tem a oferecer como imagem e que a visão de uma pupila aprisionante impede de se ver.

Beijos

Jana

terça-feira, abril 10, 2007 7:24:00 PM  
Blogger Luzzsh said...

Hehehe....eita amorzinho colado....

Beijos....

terça-feira, abril 10, 2007 7:26:00 PM  
Blogger Loba said...

ai ai ai... fiquei um tempão sem aparecer e qdo volto dou de cara com um poema de amor que gruda! Assim não resisto - tenho que dizer: vc é demais!!!rs...
Dio, saudades de tu, companheiro! Andei perdida, mas tou voltando. Devagar, por caminhos tortos, mas importante é caminhar, né?
Agora vou ler mais... aqui a gente fica um tempão!!!
Beijoconas

quarta-feira, abril 11, 2007 4:18:00 AM  
Blogger Octávio Roggiero Neto said...

"o amor só dura em liberdade...", já cantava o nosso Raul, "mas eu me mordo de ciúme..."
você é demais, seo Diovvani!
aquele abração!

quarta-feira, abril 11, 2007 11:20:00 AM  
Blogger Rayanne said...

Fino, o traço
Entre a liberdade, o abraço,
Cola o beijo e corta o passo,
Como vejo anda e anda, quer e corre, vem e vai, fundamental e coisa e tal.
Inquestionável é mesmo o amor.

Tanta saudade, Dio!!!
Amo.

**Estrelas**

quinta-feira, abril 12, 2007 6:59:00 AM  
Anonymous sayô said...

Saia de mim pra poderes me ver !
beijos

quinta-feira, abril 12, 2007 10:16:00 AM  
Blogger bambam said...

eis aqui uma metonímia, figura de linguagem que, no caso, substitui a marca pelo produto: amor super bonder!GRANDE ABRAÇO!

quinta-feira, abril 12, 2007 11:21:00 AM  
Anonymous Clarice said...

alguns tentam ser dois em um... mas "dois corpos não podem ocupar o mesmo espaço ao mesmo tempo"
carinhos Dio

sexta-feira, abril 13, 2007 8:12:00 AM  
Anonymous l. rafael nolli said...

Que pedido de leberdade! Sensacional esse poema, meu camarada! Gostei muito da inventividade.

sábado, abril 14, 2007 5:26:00 AM  
Anonymous l. rafael nolli said...

Que pedido de leberdade! Sensacional esse poema, meu camarada! Gostei muito da inventividade.

sábado, abril 14, 2007 5:26:00 AM  
Blogger CeciLia said...

Brilhante, meu querido!

quisera ter dito/escrito estas coisas.

Mas não sei ser senão débil em meus protestos e tortuosa em meus quereres.

Abraço dos pampas

domingo, abril 15, 2007 3:03:00 PM  
Blogger Saramar said...

Menino, isso é coisa de poeta apaixonado.
É lindo, lindo demais (aliás, e o que você escreve que não é lindo demais?)

beijos

domingo, abril 15, 2007 4:41:00 PM  
Anonymous Lela said...

"Deixe de calçar meus passos"? Adorei isto! ;) Adoro me surpreender sempre com sua poesia, amigo!
Beijo e boa semana!

domingo, abril 15, 2007 6:49:00 PM  
Blogger dri said...

amor tem todas as propriedades... até de colar os dedos.
amei seus poemas, sua casa e o fato de sermos conterrâneos.
beijo

segunda-feira, abril 16, 2007 4:47:00 AM  
Anonymous marcos pardim said...

amor quando não respira, inspira cuidados. liberdade, antes que seja tarde, manhã ou noite. cum deus, velho.

segunda-feira, abril 16, 2007 6:49:00 AM  
Blogger Múcio Góes said...

grande Dio, tou voltando... :)

as sombras são nossa outra veste.

belo.

[]´s

segunda-feira, abril 16, 2007 7:56:00 AM  
Blogger Juliana Pestana said...

Amor que sufoca?
Ou é louco, amante, bendito, agarrado no teu peito perdido?

Leio um Diovvani diferente hoje. E o Zeca embala perfeitamente a sonoridade dos versos...

Bjos meus.

segunda-feira, abril 16, 2007 11:18:00 AM  
Blogger Mary said...

Que delícia de escrito! Este ar de liberdade é sempre necessário...

E bela música do Baleiro! Adoro!
Sempre gosto de ver os sons das tuas postagens. :)

Beijos, poeta querido!

terça-feira, abril 17, 2007 12:54:00 AM  
Blogger Edilson Pantoja said...

Esta é uma das consequências de se andar ao sol: a sombra. Abraço, Diovanni!

terça-feira, abril 17, 2007 10:42:00 AM  
Anonymous paulo vigu said...

É a senha pra voar: que deixem de vestir a nossa sombra, que deixem de amarrar a nossa asa. Riodaqui/abraço/Paulo Vigu

quinta-feira, abril 19, 2007 8:34:00 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home