poeminhas p/matar o tempo e distrair dor de dente.

quarta-feira, maio 17, 2006

postagem ao som de disco "simples e absurdo" com músicas de guinga e aldir blanc.
_lambe-lambe-maluco perdido no tempo_
o decibéis de minha amplificação
é no positivo
minha lente-de-aumento
é um olho-pensamento
no meio da testa
que
d i l a t a
o lado bom das coisas
enquanto queima
entre gargalhadas
negativos
numa caixa escura
para que
não sobrem deles
cinzas-sombras
nem
fotografias
na caixa do presente

6 Comments:

Anonymous Janaína Calaça said...

Diovanni, eu entro na sua casa e sinto cheiro de terra, barulho de água corrente e brilho solar constante. Ouço umas canções imaginadas, recriando sons naturais, com toque meio alaúde, meio bandolins, dedos seus inventando musicalidades.
Entro na sua casa e te vejo brincar com as palavras, reiventar os sentidos. No jogo do leve, do toque, do sorriso-largo-dentes-brancos, você se afasta da dor, do cinza dos dias em que a vida tenta nos extrair algumas lágrimas forçadas. Vejo você dilatar os ângulos solares e arquivar os negativos, tornando cada um deles insignificantes, menores, apenas sombra diante dos nossos momentos de riso, de abraços quentes, de companhia de gente querida. Os negativos são apenas tentativas de existir. O que ganha vida mesmo são as fotografias-clics-recortes dos momentos sinceramente felizes.
Você me traz conforto em dias de apreensão. Saio de sua casa mais solar, menos sombra.
Beijos,
abraço forte,
afago.

Jana

P.S: Querido, mando sim meu endereço pra você. Ficarei imensamente fotografia-sorrisos em receber suas canções. Mais uma vez abraços fortes. Jana

quarta-feira, maio 17, 2006 6:27:00 AM  
Blogger alice said...

querido diovvani,

venho suave suavemente, como quem não quer ser lido, escrever estas palavras, com meu coração sofrido

deixo um verso ou talvez mais, não posso deixar morada, minhas letras são vogais, consoante a alvorada

um grande beijinho,

alice

quarta-feira, maio 17, 2006 2:38:00 PM  
Blogger Maria Cláudia said...

Gosto dos seus escritos. Leio seu blog já faz algum tempo, mas estou comentando hoje pela primeira vez.

Interessante poder dilatar o lado bom das coisas e esmagar em algum canto qualquer aquele cinza-sombra que existe lá no fundo do pensamento. Sei lá... passeei na minha mente.

Um abraço,

Maria Cláudia

quarta-feira, maio 17, 2006 3:45:00 PM  
Anonymous diovvani said...

Maria Cláudia, muito bom ver você assim curtindo estar meio da desta ciranda de filhos e escrevendo sobre isto. Ainda não tive o prazer de ser pai, mas lhe confesso que gostaria muitíssimo. Forte abraço e apareça sempre que puder, lá no "poeminhas..." de preferência, como desta vez deixando rastros, para que eu possa retribuir a visita e também conhecer seus escritos, sua casa.
Diovvani.

quarta-feira, maio 17, 2006 4:52:00 PM  
Anonymous marcos pardim said...

rir das coisas ruins e dilatar o lado bom das coisas é lição das mais valiosas, e que deveria ser aprendida por tantos; embora, vezenquando, velho, a desgraça é tanta que só mesmo em preto e branco se revela. cum deus...

quarta-feira, maio 17, 2006 8:00:00 PM  
Blogger Clauky Saba said...

gostei de tudo mas o que mais me marcou foi:

"gosto de punhos abertos que expulsam desertos
e pulsam abraços nascentes de
ri(s)os não-lágrimas"

Para mim, bastaria ter lido essas palavras para fazer do meu dia mais feliz, uma filosofia de vida.

Poetabraços

Clauky

quarta-feira, maio 31, 2006 9:03:00 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home