poeminhas p/matar o tempo e distrair dor de dente.

sexta-feira, julho 20, 2007

Postagem ao som da música Asa Partida - Fagner [OuçAquiÓ]
ASA PAR T IDA E FLOR
(Para Santos Dumont e mais uns Tantos e Tontos e Santos)

ANArC
ia - INFRAerro,
PORCOrativismo.
Panem et circences,
cor rup cão, vôo cego.
Fogos do Pan:
vaias, ouro, reverso e pânico.

Des
controlados,
radares tantãs.
Overbooking.
SemData.
Gol ver nu,
contra.

E ultra-leves v
idas; lá - LUa.
Agora griTAM,
vibram e voam:
menos,
pesadas que o ar.
.
(E Garcia "comemorou"...
pois na realidade
não há Zorro,
para fazer justiça no Brasil.
Ele está e$condido no cofre inviolável do poder,
atrás da capa e da caixa preta
de suas metiras)
...
P.E. 27/07/07
Que o “maleducado” do Nelson Jobim, fale menos e aja de fato. Que ele consiga trazer à realidade dos brasileiros, algo além de palavras, que justifique tanta penúria de todo um povo. Que as palavras de seu discurso, não retumbem no vazio e encontrem abrigo na realidade. Que ele, como maestro não desafine na regência, até agora desafina do governo. Nosso Maestro soberano, Tom Jobim, compôs a música Desafinado e não desafinava, espero o xará se inspire nele na política.
Até parece que não gosto do PT, não é? Mas saibam, embora possa parecer piegas - quando Lula perdeu para Collor – eu chorei, fiquei por alguns dias com um nó na garganta. Desde de que me entendo por gente, sempre votei no PT, do cabo ao rabo. Fui uma semente regada pelas ideais petistas (águas do Araguaia), mas eu virei árvore e sob minha sombra ainda abrigo velhos sonhos, mas não os personagens e o pesadelo que se tornou; pelo menos para mim, Lula no poder.
Acho que a cúpula do PT, vacilou, ao não ter feito nada, para impedir a saída de Heloisa Helena do partido - ela com suas posições firmes, era peça importante; acho, para que a turma não se desviasse do "sonho". Para que o povo brasileiro não continuasse a ser estuprado, (incrivelmente dentro da s leis) como ainda está, pelos banqueiros que financiam nossos "digníssimos" políticos.
Há pessoas e pessoas... Aqui em minha cidade, Contagem - MG, até onde sei, Marília Campos apesar de pertencer ao PT - tem feito no geral uma boa administração. Exceto um vacilo e outro nas áreas de educação e saúde.

29 Comments:

Blogger Oswaldo said...

...e você aleGOL aquilo que, de fato a chinfraero TAMto anda apronTAMdo
TAMbém sou a seu favor!

sexta-feira, julho 20, 2007 7:53:00 AM  
Blogger Clóvis said...

Cinzas nuvens...
Por ora prefiro ficar em silêncio.


Abraço, poeta.

sexta-feira, julho 20, 2007 4:12:00 PM  
Anonymous isabella benicio said...

Em meio à tamanha tristeza que ainda corrói o dentro de cada um de nós, em meio a tantas almas e asas e esperanças partidas, mais um de teus gritos poéticos de indignação. Ao qual aplaudo e me irmano.
Beijo grande, Diovvani.

sexta-feira, julho 20, 2007 5:15:00 PM  
Blogger Octávio Roggiero Neto said...

será que a Marta ainda acha que devemos “relaxar e gozar”? sim? então que gozemos... na cara dela!
descaso geral das autoridades!
pensa só na dor das famílias, meu poeta: inimaginável, de rasgar o coração!
mas nada como umas semaninhas pra que se abafe o caso. aliás, domingo tem clássico no Maracanã e fevereiro tem bundas imensas rebolando na avenida.
eita, povo meu, tão festeiro e sem memória, acostumado a se resignar, mesmo sendo o sofrimento insuportável. suportamos mesmo assim.
além do mais, Brasília está loooooooonge, muito longe. não, eles não escutam o choro e o gemido das vidas estilhaçadas. servimos só pra pagar impostos presses filhos duma puta engordar a ganância!
desculpa as exclamações, Diovvani, mas minha indignação é um grito rasgando a garganta!

sexta-feira, julho 20, 2007 5:36:00 PM  
Anonymous Valeria said...

vc escreveu tao lindo sobre algo entre triste e de indignar! eu trabalho ali pertinho, numa rua paralela... estava de ferias mas na segunda volto la... nao tenho medo, mas uma tristeza triste... e uma TRISTE impressao de que nada vai ser feito.
um beijo

sábado, julho 21, 2007 11:17:00 AM  
Anonymous Anônimo said...

Dio,

Com tudo que estamos passando(Mal)me imagino voando, se não for pela força do pensamento! Aqui pelo menos o investimetno é alto, e não tem excesso de passageiros, nem de carga.....sempre cabe mais um......Para onde quizer, de onde vier, para onde for, com garantia de satisfação, e chegada em cima da hora.....

BJS

Kátia Silva

sábado, julho 21, 2007 12:44:00 PM  
Anonymous Jota Effe Esse said...

Que arranjo espetacular esse que você fez dessa tragédia previamente anunciada pelos controladores de vôos afastados como sabotadores, e que agora, apesar de tudo, devem estar rindo de verem a Aeronáutica mandar uma caixa de descarga para os EUA como se fosse a caixa preta. Ou não foi uma caixa de descarga? Abraços.

domingo, julho 22, 2007 6:16:00 AM  
Blogger Juliana Pestana said...

E que a poesia também seja uma forma de denúncia.

Verdadeiríssimos versos... infelizmente.

bjos meus.

domingo, julho 22, 2007 5:21:00 PM  
Blogger Bobo da Côrte said...

Muito bom! Mais atual impossivel.
Adoro "matar o tempo" lendo seu blog.
Mas, graças a deus não tenho dor de dente.
=D

domingo, julho 22, 2007 7:07:00 PM  
Anonymous marcos pardim said...

talvez, falta maior ainda nos faça bernardo... que no silêncio imposto pela sua mudez tinha a sabedoria de tomar as providências necessárias... garcia, o sargento, ao menos era ingênuo e bondoso. esse, o top top, consegue somente ser insensível e grotesco. vou até ali, na minha infância, buscar bat masterson pra ver se, ao menos assim, me apego um pouco à justiça ... 1 abraço

segunda-feira, julho 23, 2007 6:40:00 AM  
Blogger L. Rafael Nolli said...

Diovvani, meu camarada, gosto quando a poesia vem para dar nome aos bois - aqui temos uma boiada digna da adquirida pelo nosso valeroso senador! A poesia tratando de uma assunto de hoje, de agora, sempre é uma boa pedida! Muito bom, meu velho. Esperemos que essa loucura que se passa em nossos ares tenha um fim antes que mais tragédias voltem a ocorrer! Abraços para ti!

segunda-feira, julho 23, 2007 11:05:00 AM  
Blogger clarice ge said...

pois é... dizer mais o quê?
tu, sempre, mesmo usando a crueza dos fatos reais que rasgam o peito de dor, é poesia sem fugir dos acontecimentos.
beijo meu

segunda-feira, julho 23, 2007 12:15:00 PM  
Blogger Pedro Pan said...

, poema social. pra mostrar pra todos as mazelas de nosso país... várias leituras e sempre gritam as mazelas...
, abraços meus.

segunda-feira, julho 23, 2007 1:24:00 PM  
Blogger Clóvis said...

Poeta, você já tem melodias para aqueles versos?Fiquei arrebatado por aquelas brisas-melodias...

Eu tou com o projeto de uma banda com referências dadaístas e forte inclinação poética chamada "Os Azuis", aqueles seus versos me caiu como uma uva-verde da cor do escort de Juliana rs

Vou te deixar o meu e-mail:
clovisstruchel@gmail.com


Claro, tomaremos uns chopps e umas prosas.


Abç, man!

segunda-feira, julho 23, 2007 3:21:00 PM  
Blogger Claudinha said...

Olá Diovvani. Adorei a maneira com que trabalhou as palavras, ,achei genial! As inspirações não foram nada do que gostaríamos, mas temos que levantar a voz, para punhais de puro aço cantando assim para aquelas pessoas da sala de jantar... (adoro a música Panis et circensis e por isto misturei as coisas).
Um beijo procê!

segunda-feira, julho 23, 2007 4:47:00 PM  
Anonymous Lela said...

As que partiram, amigo, vibram e voam menos pesadas que o ar, mas, nós que ficamos, não devemos nos abster do peso de exigir que tudo se esclareça. Já chega, né não? Cansados de sermos vilipendiados. Cansados.
Abraço grandemais, amigo!

terça-feira, julho 24, 2007 6:15:00 AM  
Blogger Mônica Montone said...

Isso tudo é ridículo, Diovanni, querido [não o poema, mas o que dele se despreende].

beijos e boa semana, meu caro

MM

terça-feira, julho 24, 2007 2:38:00 PM  
Anonymous Márcia(clarinha) said...

e a poesia transformou-se num grito de revolta e dor...
lindo dia,poetinha
beijos

quinta-feira, julho 26, 2007 9:43:00 AM  
Blogger Edilson Pantoja said...

Diovvani, meu poeta!
Ainda estou no ritmo pregiçoso das férias. Em breve arregaço as mangas no blog. Abraço!

quinta-feira, julho 26, 2007 3:33:00 PM  
Blogger Avassaladora said...

Diovvani, valeu pela visita, é bom conhecer os meus leitores!!!!
E você é de libra!!!! Como eu !!!!

quinta-feira, julho 26, 2007 4:18:00 PM  
Anonymous Edson Marques said...

Diovvani,




Você sintetizou, com maestria, nosso sentimento de horror frente a esse absurdo sistema de coisas.



Abraços, flores, estrelas..

.

quinta-feira, julho 26, 2007 8:53:00 PM  
Blogger Nilson Barcelli said...

Um excelente poema e na hora.
Em cima de uma actualidade que a todos chocou, não só o acidente como também diversos aspectos que o envolveram.
Um abraço.

sexta-feira, julho 27, 2007 9:26:00 AM  
Anonymous alex pinheiro said...

O sistema tem coisas de sistema pra quem o conhece em intimidade...
Mesmo reconhecendo que a vida ainda tem valor sentimental,,, haja visto que muitos lacrimejaram com as imagens,,, isso cansa! Emagrece!

Não quero mais!

Abraços e sociais invenções!

sexta-feira, julho 27, 2007 1:27:00 PM  
Blogger Gilson said...

carissimo poeta:
até hoje pela manha nao queria divulgar meus surtos,nem vender minhas ideias ou sequer anotar mais meus rabiscos, ate que li sobre voce no jornal,entao decidi pedir sua opniao sobre minhas poesias. sou um habitante de contagem e gostaria muito que voce entrasse em contato comigo. gilson.1978@hotmail.com
agradeço!

sexta-feira, julho 27, 2007 2:00:00 PM  
Blogger Saramar said...

Seu poema é como aquelas aves branquinhas que sobrevoam as dores, tentando acalentá-las.
O grito dessas aves quando não acalanto possível.

Minha história com Lula e o PT é idêntica à sua.
Sinto-me profundamente envergonhada e traída.

beijos

sábado, julho 28, 2007 9:24:00 PM  
Blogger Antônio Alves said...

Interessante a sua preocupação com a palavra-imagem, a necessidade dos renomados concretistas que a poesia não se resumisse a letras transcritas no papel, mas que ela fosse um diálogo constante entre significado e significante. Acho que você faz isso com maestria. Abraços!



Antônio Alves
No Passeio Público
Postagens às quartas e domingos

domingo, julho 29, 2007 9:59:00 AM  
Blogger Ariane said...

ótimo poema/protesto, está virando especialidade sua? :)

*linda sua semente trazida pelo vento, germinou, nasceu flor e coloriu o dia :)

ensolarados beijos

segunda-feira, julho 30, 2007 9:48:00 AM  
Blogger Rayanne said...

Ei, seu bonito.

A saudade, ardida.

Aí venho aqui, e encontro além das bonitezas de sempre, a indignação elaborada que espelha a boniteza da tua alma, poeta.

Amo, visse?

***Estrelas tontas, tantas***

quarta-feira, agosto 01, 2007 8:41:00 AM  
Blogger Claudinha said...

Oi Voltei procurando atualizações. Ouvindo Fagner... Neste sábado vou ser eu a sócia a preparar o Barzinho Cultural e o tema será Fagner. Estou ensaiando aqui,lembrando de quando ouvi Canteiros pela primeira em meados dos anos 70 e das músicas dele nas várias fases deminha vida. Beijão.

quarta-feira, agosto 01, 2007 1:07:00 PM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home