poeminhas p/matar o tempo e distrair dor de dente.: Novembro 2008

sexta-feira, novembro 07, 2008

Postagem ao som das músicas O Que Sobrou do Céu [OuçAquiÓ], Minha Alma [OuçAquiÓ], Reza Vela [OuçAquiÓ] - O Rappa e The Unforgettable Fire [OuçAquiÓ] - U2.
(Van Gogh)
...
FOGARÉU

Embriagar-me da luz
de um girassol de Van Gogh.

Bispar-me com as cores
de um rosário do Arthur

e acima do chão sair pelas ruas
cuspindo palavras de fogo

nos transeuntes presos no iceberg
da indiferença urbana que a cada dia

cresce como o derretimento
das calotas polares.

Deixar minhas roupas suadas
na grama bem cuidada do jardim

sob a guarda do homem
que vende algodão doce.

Sem lugar - estacionar meu corpo nu
às seis horas da tarde

em frente ao Palácio da Liberdade,
que mora entre grades.

(enquanto num radinho de pilha
alguém se benze ao ouvir os primeiros acordes da Ave Maria, após
o programa Itatiaia Patrulha)

Soltar minha fera e atormentar
a pose de mansidão

dos praticantes de Yoga
cheios de graça em plena praça.

Quebrar as algemas
no cinturão da lei.

Cortar as veias da lucidez
das minhas orelhas

cansadas de ouvir os ruídos
do mundo em ruínas

e mudo deixar
sangrar meu gesto

enquanto me abraça
uma camisa de força.

...
Para meu amigo Wanderson Novato, poeta, que dia desses atinou (teve lá seus motivos) de ficar nu em plena Praça da Liberdade, em Belo Horizonte. Ele foi gentilmente algemado e conduzido ao departamento psiquiátrico do Hospital Galba Veloso. Tá tomando uns compridinhos receitados pelo médico - manda dizer que tá tudo sob controle.