poeminhas p/matar o tempo e distrair dor de dente.: Junho 2009

terça-feira, junho 30, 2009

Postagem ao som da música Garimpo de Luiz Dillah [OuçAquiÓ]

APRENDIZ DE TROVADOR

A vida sempre surpreende!
Uma sabiá fez um ninho
numa sela abandonada
de um cavalo que se foi.

terça-feira, junho 16, 2009


Um poema de Wilmar Silva/Joaquim Palmeira:

TURVAÇÃO
o homem sórdido não é feito
de palha e milho — colchões de catre sim
são de palha capim e paina
madeira desenhada a nós

mas o homem sórdido é sorumbático
até o fundo vertiginoso da alma
não toma banho
apenas as mãos os olhos os pés
lava antes do sono

o homem sórdido espantou avoantes
dormiu no pomar e ficou silvestre
e não coloriu as íris de arco-
íris