poeminhas p/matar o tempo e distrair dor de dente.: Maio 2007

segunda-feira, maio 28, 2007

Postagem ao som da música Feito Nós - Milton Nascimento e RMP. [OuçAquiÓ]
INSTANTÂ
NEO
DUM TANTÃ

Hoje
[vivo-uivo]
TAO nu
presente-ao-vivo

que não
arrisco
acender
o risco

de
levitar
a tampa
da caixa.

Nem

O.V.N.I.

quero
olhar
à
fresta.

Aqui, pois;
estou,
"in"
festa.
...
Foto Diovvani por Diovvani.

segunda-feira, maio 21, 2007

Postagem ao som da música Todo Carnaval Tem Seu Fim - Los Hermanos. [OuçAquiÓ]

terça-feira, maio 15, 2007

Postagem ao som da música Ideologia - Cazuza. [OuçAquiÓ]
AVISO! AOS ERRANTES NAVEGANTES
(PASSAGEIROS DA NAVE MÃE)

Não creiam no meu papo.
Irmãos! Eu não sou bento!
E acho, nenhum ser humano, é.
Nem Maria, nem José.

Exceto aquEle fruto do vento
que, numa boa e sem enganos.
Há mais de dois mil planos,
numa páscoa, andou de jumento

no meio do povo, com a língua solta.
Plantou palavras inoxidáveis. Foi Blindado? - Sim.
Mas, de verdade, humildade, fé,
compaixão e perdão - até o fim.

Não se espante! Sou mais um pecador entre os infiéis.
Sou pó, mais um à toa, declarado, inimigo dos reis.
Também excetuo aquele outro rei, do Manoel que, fincou
bandeira, no pico das montanhas do meu peito.

E quando estiver além dos quintos, eu sei,
não habitarei entre os que se acreditam limpos.
Mas, serei átomo no cimento para ressuscitar o limbo
e lá, em tenra idade, o tempo, paZsárgarei.
...

À memória de Giordano Bruno.
(Bem, acho que ele mereceria, coisa bem melhor do que este poeminha.
Mas, foi o que dei conta de fazer.)

...

O poema acima fiz no dia 10/05. Acho que, um dia após a chegada do papa.
Giordano Bruno, para quem dediquei estas linhas, foi um cara que morreu por causa de suas idéias. Os verdugos da inquisição o levaram amordaçado ao lugar da execução, amarraram-no com uma corrente de ferro a um poste, cravado no centro da praça de São Pedro e atearam fogo. Ele morreu sem negar seus pontos de vista filosófico-religiosos. Seu pensamento era holista, naturalista e espiritualista. Ele acreditava numa sabedoria que se experimenta na ordem natural onde tudo está interligado. Acreditava na pluralidade dos mundos habitados, sendo a terra mais um entre vários planetas que giram em volta de outros sistemas. Estava muito além de seu tempo. Pela ousadia do seu pensamento foi condenado pela SANTA INQUISIÇÃO. Quando ouviu sua sentença, Giordano disse “Tremeis mais, ao ler minha sentença do que eu ao ouvi-la”. Suas últimas palavras foram: "Morro como mártir por minha própria vontade". No lugar onde Giordano foi executado há um monumento inaugurado em 9 de junho de 1889.
Para saber mais sobre o cara clique aqui ó

...

E escreveu Cazuza "Ideologia eu quero uma pra viver"
E você, morreria por aquilo que acredita, por suas idéias, por um ideal?
Você, estudou no grupo daqueles garotos que queriam mudar o mundo?

terça-feira, maio 08, 2007

Postagem ao som da música Froydiana - Marco Antonio Araújo - [OuçAquiÓ]
(Aqui, o Leo, meu companheiro e testemunha
da traquinagem do Bem-te-vi.)
UMA CARONA, NAS OBRAS DE UM HOMEM E DE UM PÁSSARO.

Estava o homem
sentado numa pedra
dum ninho de pedras.

Lia o velho
poeta-menino
Manoel de Barros.

Foi quando, acreditem...
Um Bem-te-vi
bom de pontaria

obrou,
bem no olho do redemoinho
de sua cabeça.

O homem pensativo,
mirou a ave,
portadora de olhar fontana

e com uma das mãos
constatou
a traquinagem.

Mas, não deu descarga em xingamentos.
Nem estilingou pedras,
na direção da ave.

Em sua memória,
veio antigas palavras
de seu avô:

"Titica de passarinho
tem semente
que vira árvore.

Nela, tem alimento
que faz,
as plantas crescerem."

O homem concluiu
que se titica de passarinho,
é tão boa assim...

Como nas palavras de seu avô,
também devia ser boa,
pras raízes dos cabelos.

Ignorou a obrada do ser alado
e seguiu folheando,
o Livro das Ignorãnças.

Sentado na pedra ficou o homem.
Como mais uma, entre vivas
criaturas, na réstia da tarde;

alegre e obrado,
de passarinho
e Manoel de Barros.